quinta-feira, 22 de outubro de 2015

10 OSTs de games que traumatizaram a sua infância

Ahh, a infância. Quem de nós não foi feliz se aventurando pelo mundo mágico dos games em um GameBoy, SNES ou 64? Universos coloridos, histórias mágicas, músicas felizes... Não necessariamente.

Aqui estão 10 trilhas sonoras de games non-horror das quais você muito provavelmente nunca esqueceu...

#10 - Earthbound: Giygas Battle
Quando ouvi essa droga pela primeira vez, eu achei que o cartucho estivesse quebrado.


Sinceramente eu não sabia nem se incluía essa na lista, porque não sei se chega a se configurar como música. É uma desorganização imensa de sons diversos que parecem ter sido jogados em um liquidificador. Não combina nem um pouco com o clima de paz e alegria meio hippie de Earthbound... Giygas em si é um vilão muito bizarro, sinistro até, e tem todo aquele contexto da batalha ser uma metáfora para um aborto... Nuff said.

#9 - Pokémon R/B/G: Lavender Town Theme
Sim, eu entendo o quanto isso é clichê.

Mas vocês têm que concordar comigo: Lavender Town é uma cidade muito fodida.

É uma cidadezinha minúscula e sem vida, sua grande atração é um cemitério gigante em forma de torre e os Pokémons nativos de lá são os Cubones, que - pra mim - têm a backstory mais triste de toda a PokéDex. E pra completar tem essa musiquinha super feliz como tema.


É bizarro pra caramba. Não dá pra esquecer quando você entra lá, todo feliz, buscando aventura, e encontra essa abismo de depressão.

A propósito, essa versão a capella provavelmente é uma das coisas mais... estranhas, no mínimo, que você vai ouvir na vida.


#8 - Earthbound: Cave Of The Past

Muita gente discorda de mim, mas Cave Of The Past pra mim é bem mais sinistra que Giygas Battle. Você está no passado, com seu cérebro dentro de um robô, explorando uma caverna cinza e sem vida em busca de um feto gigante.



Em pensar que Earthbound começa como um jogo feliz, fofinho e indefeso.

#7 - Majora's Mask: Ikana Canyon
Tirando no "Quem Somos" do blog, acho que eu nunca mencionei que Majora's Mask é basicamente meu jogo favorito de todos. Legend of Zelda é uma das minhas sagas favoritas, eu jogo títulos dela desde muito nova. Majora foi o terceiro que joguei, e foi chocante. Todos sabemos o quanto o jogo é sombrio. E Ikana Canyon é sem dúvida o melhor reflexo do que esse jogo é.

O lugar está infestado de monstros, existe uma maldição que não permita que nada cresça lá, todos fugiram -  à exceção de uma garotinha e seu pai amaldiçoado pelos Gibdos, aliás essa é uma das histórias que mais me emocionou em todos os games -, tem uma torre gigantesca profanando os deuses, provavelmente foi de lá que a Majora's Mask (a.k.a. máscara capetosa de Belzebu) saiu, tem uma Lua gigantesca com cara de Satanás fungando no seu cangote e pra completar tudo essa música no fundo.


Bizarra e incrivelmente apropriada.

#7 - Ocarina of Time: Shadow Temple
Me digam com sinceridade: sou só eu? Eu não sei se é o fato de que o lugar parece uma câmara de tortura abandonada e tem caveiras por todos os lados no chão e na parede, ou o fato de que essa é a música que toca no Bottom Of The Well, onde você encontra aquele COMBUSTÍVEL DE PESADELO EM FORMA DE ABERRAÇÃO CHERNOBÍLICA chamado  Dead Hand, mas essa coisa me dá calafrios.


#6 - Donkey Kong 64: Creepy Castle


Amigos, Donkey Kong é um jogo feliz. Mas ele tem os seus momentos... estranhos, vamos dizer assim. Como por exemplo um enorme castelo abandonado com essa música super tranquilizante no fundo.

#5 - Super Mario 64: Looping Staircase



Acreditem, essa coisa fica bem mais assustadora se você tem 8 anos de idade e fica tentando acionar o bug da escada no meio da madrugada.

#4 - Donkey Kong Country: Misty Menace



Então você está numa mina abandonada e escura com jacarés rastejantes e meio zumbis querendo te matar, e essa música no fundo.
É como eu disse. Donkey Kong tem seus momentos...

#3 - Super Mario 64 - Big Boo's Haunt
Já começo dizendo que meu tio bateu essa parte do jogo pra mim.


Não é incrível como a Nintendo se supera em nos assustar?

#2 - Final Fantasy VII - Trail of Blood
A base acaba de ser invadida. As portas estão destrancadas. Tem sangue no chão. Você sabe que alguma coisa aconteceu e precisa investigar. E essa música te acompanha.

Nope. Nope. Nope.

RUFLEM OS TAMBORES!!

#1 - Chrono Trigger: Strains of Insanity
Sim, eu joguei Chrono Trigger quando criança e imagino que pelo menos alguns de vocês também.


Cara... por onde começar?
O lugar em si já é muito perturbador, Magus não podia ter um castelo e um tema mais apropriados...
Dispensa comentários. Simplesmente.

OPA!! Pera que ainda não acabou!
HONRA AO MÉRITO - SUPER PAPER MARIO

Por razões óbvias, Super Paper Mario não tem representantes nessa lista. Ele não fez parte da infância da nossa geração. MAAS merece ser lembrado, pois, se não traumatizou a infância da nossa geração, com certeza já está em processo de traumatizar a próxima com:

World of Nothing
Sim, essa droga está em um jogo de Mario. Um mundo sem nada, um pedaço de vazio, acompanhado dessa "melodia".

River Twygz Bed

Preciso comentar?? Puta que pariu, Nintendo... Um mundo de Game Over? Com essa aberração sonora? Nada a declarar...

É isso, monstrinhos da tia Capitu. Espero que tenham gostado :)
Discordam da minha opinião com alguma dessas? Acham que esqueci de alguma? Falem nos comentários!

domingo, 11 de outubro de 2015

O Guardião do Caminho

Em qualquer cidade, em qualquer país, vá a qualquer instituição mental ou asilo em que você possa entrar. Quando chegar à recepção, peça para visitar alguém que se autointitula "O Guardião do Caminho". O funcionário do local vai dar o seu melhor para manter uma expressão de indiferença em seu rosto enquanto te entrega uma chave que, como ele explicará, pertence a um armário inutilizado no prédio. Ah, se fosse tão simples. Após encontrar e destrancar a porta correta, você vai se encontrar encarando um caminho estreito suspenso sobre uma escuridão sem fim, a visão apenas eventualmente obstruída pelos massivos contornos de coisas que é melhor não descrever.

Cair do caminho é ser jogado fora da própria realidade. Uma eternidade de pesadelos de um horror inconcebível espera qualquer um que tropece para dentro da escuridão ou seja puxado para ela pelas monstrosidades que residem fora das fronteiras da criação. Se você em qualquer momento se sentir observado enquanto viaja por esse pedaço de oblívio, a melhor chance que você tem é a de imediatamente congelar onde está e segurar a respiração. Continue a fazer isso até que seu público perca o interesse ou se mova para reclamar você. Se este último acontecer, você pode gritar à vontade, tão alto quanto quiser; ninguém ouvirá você, de qualquer maneira.

No fim do caminho estará uma porta que leva a um quarto pequeno e muito sujo. Apoiado na parede oposta do quarto estará um cadáver em estado avançado de decomposição; o que restou de sua pele foi há muito enegrecido pela necrose. Aproxime-se dele e faça uma única pergunta: "Como eles obtiveram Guardiões?"

Em resposta à sua questão, o "cadáver" começará a se mexer. Um brilho vermelho começará a emanar de suas órbitas vazias assim que ele levantar sua cabeça e começar a sussurrar a longa e macabra história dos Guardiões. Ele falará de pactos pagãos e atrocidades indescritíveis. Com o tempo, sua história vai falar de cada forma de maldade conhecida por homens e deuses, e algumas formas que nenhum deles pode compreender. Depois disso, se você disser a ele o nome de qualquer um dos Guardiões, ele contará a história dele e o significado do objeto que ele protege.

Bem, quase qualquer Guardião. O Guardião do Caminho nunca vai entrar em detalhes sobre si mesmo. Isso é porque o espírito espera que você não questione a razão pela qual ele não tem um Objeto. Na verdade, o brilho sinistro proveniente das órbitas vazias do espírito na verdade é a luz brilhante do objeto que de alguma maneira foi selado dentro de seu crânio.

Esse é o Objeto 7 de 538. Seu Guardião fará qualquer coisa pra te manter longe dele.