segunda-feira, 28 de abril de 2014

SCP-173

Fonte: SCP Foundation
Tradução e adaptação: Capitu
-------------
#Item: SCP-173

Classe do objeto: Geométrico

Procedimentos especiais de contensão: O item SCP-173 deve ser mantido num contêiner trancado o tempo inteiro. Quando o pessoal responsável precisa entrar no contêiner, não menos do que 3 pessoas devem entrar juntas a qualquer momento, e a porta deve ser trancada novamente atrás delas. O tempo todo, duas pessoas devem manter contato visual direto com o SCP-173 até que o restante do pessoal tenha terminado de evacuar e trancar a porta.

Descrição: Movido para o Local-19 1993. Origem ainda desconhecida. Foi construído com concreto e reboco com traços de tinta spray Krylon. O SCP-173 é animado e extremamente hostil. O objeto não pode se mover enquanto estiver em um contato direto de visão. O contato visual com o SCP-173 não pode ser quebrado em nenhum momento. O pessoal autorizado a adentrar o contêiner é instruído a alertar uns aos outros antes de piscar. Relata-se que o SCP-173 ataca batendo no pescoço, na base do crânio, ou por estrangulamento. No caso de um ataque, o pessoal deve seguir os procedimentos de contensão de objetos perigosos classe 4.

O pessoal relata um som de uma pedra sendo arranhado vindo de dentro do contêiner quando não há ninguém lá dentro. Esse comportamento é considerado normal, e qualquer mudança nele deve ser relatada ao supervisor de HCML presente durante o turno.

A substância no chão do contêiner é uma combinação de sangue e fezes. A origem desses materiais é desconhecida. A área prôxima deve ser limpa duas vezes por semana.

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Última novidade da noite!!

RÁ!! Pensou que tinha acabado?
Se enganou!
Deixamos o melhor para o final.
TCHAM TCHAM TCHAM...
Apresento a vocês...
O CANAL DO CREEPYPASTA UNIVERSE!
A partir de hoje, começamos a trabalhar com Creepy Videos e Gameplays, por meio do canal CreepyTV.
Eis o link do vídeo inaugural:
http://www.youtube.com/watch?v=aoiT4jg4oKs

Eu queria colocar logo, o vídeo aqui... mas estou pelo celular e não tem como ^^'

Th-th-that's all folks :)

GG Allin: o punk mais punk da história!

Ooi mamíferos, aqui é a -Lik-! Então, a minha net tá um pedaço de bosta c.c então pedi pra Capitu postar isso aqui pra mim.
Antes de mais nada, feliz aniversário, Creepypasta Universe!
E eu gostaria de anunciar que... *ruflem os tambores* teremos uma nova série!
A Personalidade da Semana foi uma ideia minha, e a Capitu me convenceu a começar ela depois do niver do blog. Tipo assim, toda semana eu vou postar sobre uma pessoa... ahn... com uns parafusos a menos *cof cof pirada cof cof*!!
Então eu decidi começar com esse cara que eu adoro <3
Fonte: Super Bizarro
___________________________________
Pisar em pintinhos, como o Kiss, morder um morcego, como Ozzy, cantar vestido de mulher, simulando sexo com o microfone, como Lux Interior, do The Cramps, Alice Cooper, Marilyn Manson, todos esses malucos juntos são o jardim da infância de GG Allin, o punk mais punk da história. Para quem tem estômago forte, selecionamos dois vídeos no final do artigo.




Mais apropriado impossível, chamava-seJesus Christ Allin. Carinhosamente chamado por Jeje por seu irmãozinho, acabou virando GG Allin. Sua performance nos palcos imundos do underground incluía defecar, atirar a merda na plateia, esfregá-la no próprio rosto, comê-la. Também era usual arrebentar o rosto no microfone, enfiá-lo no ânus, esfregar-se com cacos de vidro, cortar a barriga, tudo isso pelado e de coturno. Dava botinadas no público, não se importava nada em apanhar, arrastava pelos cabelos qualquer um que pegasse desprevenido, depois se esfregava nele, não havia limites para o cara.
Acabou recebendo o rótulo de maluco, psicopata, desvendaram sua história de vida, descobrindo que seu pai era um fanático religioso, alcoólatra, ameaçava matar a família toda (chegou a cavar os buracos das covas de cada um no porão da casa onde moravam), mas GG nunca admitiu que houvesse relação entre seu passado bizarro e as bizarrices de suas apresentações. Sua mãe mudou seu nome quando ainda era pequeno, passou a se chamar Kevin Michael Allin, talvez antecipando os problemas que teria com o filho, que já era endiabrado. Tantas confusões que causou acabou incluído em uma turma de excepcionais por um ano.

Descobriu no punk, tanto na música quanto na proposta ideológica, a forma mais perfeita de identificação com seu mundo interior caótico. Mais que um músico, GG Allin foi um terrorista, anarquizando todas as normas de conduta por onde esteve, sendo frequentemente preso ao final de seus shows, seja por atentado violento ao pudor, por desacato à autoridade, porte ilegal de arma, provocar a desordem. Na última década de sua carreira era raro que um show seu terminasse sem policiais desligando tudo e levando o astro, já todo ensanguentado e cheio de merda pelo corpo, ou desmaiado depois de tanto sangrar.
Montou um fanzine em que se autoproclamava o profeta do rock, prometendo suicidar-se no palco. No show que programou sua morte em público, não pode comparecer, pois estava preso. Sempre com seu irmão Merle, tocou e cantou ao lado dos ex-MC5s no The Jabbers, compôs muitas músicas sempre cheias de palavrões e escatologia (I wanna fuck myself, Kill thy father, Rape thy Mother), depois formou a Texas Nazis, ironizando os texanos que, tradicionalmente homofóbicos, o odiavam. Seu vício em heroína e álcool acelerou o fim da banda. O auge de sua carreira foi com os Murder Junkies (viciados em assassinato), cujos membros acompanhava sua loucura nos palcos cada vez mais raros. Dee Dee Ramone não aguentou dois dias na banda. Os vídeos disponíveis no youtube são com essa formação.

No fim de junho de 93, com o “Criminal Quartet”, sua última banda, teve seu show interrompido pelo dono do bar e saiu pelas ruas da cidade completamente bêbado e sujo de cocô. Acabou numa festa na casa de um amigo, onde aplicou uma dose cavalar de heroína e morreu esquecido num canto da casa. Horas depois descobriram que havia morrido, chamaram os médicos enquanto continuavam a festa, batendo cinzas de cigarro sobre seu cadáver. Morto, foi velado ali mesmo, de cueca, imundo, com seus discos ao redor.


Afirmava categoricamente que “estava sempre no controle” do que fazia, que nada era inconsciente. Sua postura é o ápice do ideário destrutivo propagado pelo movimento punk, cuja premissa era a destruição completa da civilização como está, ou, pelo menos, a negação completa de todos os valores por ela propostos, desde o consumo até a religião e a ética cristã. GG Allin viveu em plenitude essa proposta. Visite o site oficial do maluco. Algumas de suas frases (as publicáveis):
- “Eu não tenho influências, nenhum herói, sou apenas eu.”
- “Todo mundo é um inimigo. Eu odeio todo mundo. Eu não sou parte de cena nenhuma. Eu faço do meu jeito. Minha mente é uma arma, meu corpo são as balas, a audiência é o alvo.”
-  ”Se você acha que eu estou nessa por dinheiro você está totalmente enganado. Eu faço isso porque isso vive dentro de mim.”
-  ”Eu tenho visto pessoas na minha platéia saindo com ossos quebrados, braços quebrados. Eu as tenho visto cagadas,. Eu tenho visto estupros antes de mim.”
- “Se eu não fosse músico poderia ser um serial killer ou um assassino de massa.”
- “Eu estou tentando trazer de volta o perigo ao rock ‘n’ roll e não há limites e leis, e eu botarei abaixo toda barreira posta à minha frente até o dia em que eu morrer.”

Robert, o boneco

Boa madrugada a todos! O blog hoje está fazendo 1 ano o/ (uhuuu ^^)
Hoje vou postar sobre um boneco, digamos, amaldiçoado.
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Robert o boneco realmente existe. Os mitos que cercam ele variam, especialmente desde que se tornou tão popular na Internet. O boneco foi dado ao artista Robert Eugene Otto em finais do século XIX ou início do século XX por um servo que trabalha na casa de sua família. O boneco, que ele deu seu próprio nome, em seguida, assumiu uma vida própria e começou a aterrorizar a família.

Otto é dito ter mantido seu boneco na vida adulta e posteriormente atormentado sua falecida esposa à loucura. Quando o boneco foi encontrado por outra família, a garota a quem foi dado a aterrorizava e recusou-se a tê-lo em seu quarto.

O boneco está residindo atualmente no Museu do forte East Martello, em Key West, na Flórida, visitantes deve perguntar Robert educadamente se eles podem tirar foto dele. Se eles zombam dele ou tirar sua foto sem permissão, Robert é dito para colocar uma maldição sobre eles.

Dark Art - Deep In Your Eyes

Presente de Aniversário nº2!!

O que é Dark Art?
É a arte de editar fotos e fazê-las parecerem mais sombrias/assustadoras. Parece bobagem, mas dá pra fazer muuita coisa interessante :)

Eu aprendi a fazer Dark Art no final do ano passado, e decidi compartilhar minha arte com vocês :) Então, estarei postando uma foto a cada duas semanas!

Essa que vou postar hoje eu chamei de Deep In Your Eyes.

Arte by Capitu

Alamoa - Lendas Brasileiras

Então, como eu prometi, aqui está o primeiro presente!
Toda semana, nós postaremos uma lenda do folclore brasileiro. (Creepypasta Universe também é cultura xD)
A gente vai se revezar (semana que vem vai ser a Miss Insipida, depois Lik e Thaney), e decidimos que eu começaria.
Então, aqui vai uma lenda que acho muito interessante!
Fonte: Fantastipedia
_________________________________________________________________________


Alamoa ou dama branca, lenda de Fernando de Noronha, é a aparição de uma mulher branca, loura, nua, que tenta os pescadores ou caminhantes que voltam tarde e depois se transforma num esqueleto, endoidecendo o namorado que a seguiu. Aparece também como uma luz ofuscante, multicor, a perseguir quem foge dela. Sua residência é o Pico, elevação rochosa de 321 metros na ilha de Fernando de Noronha. Segundo Olavo Dantas (Sob o Céu dos Trópicos, 28, Rio de Janeiro, 1938):
Às sextas-feiras a pedra do Pico se fende e na chamada porta do Pico aparece uma luz. A Alamoa vaga pelas redondezas. A luz atrai sempre as mariposas e os viandantes. Quando um destes se aproxima da porta do Pico, vê uma mulher loura, nua como Eva antes do pecado. Os habitantes de Fernando chamam-na alamoa, corruptela de alemã, porque para eles mulher loura só pode ser alemã... O enamorado viandante entra na porta do Pico, crente de ter entrado num palácio de Venusberg, para fruir as delícias daquele corpo fascinante. Ele, entretanto, é mais infeliz que o cavaleiro Tannhauser. A ninfa dos montes transforma-se numa caveira baudelairiana.
Os seus lindos olhos que tinham o lume das estrelas, são dois buracos horripilantes. E a pedra logo se fecha atrás do louco apaixonado. Ele desaparece para sempre.
Para Pereira da Costa, trata-se de uma reminiscência do tempo dos holandeses. Luís da Câmara Cascudo a caracteriza como uma convergência de várias lendas de sereias e iaras estrangeiras. O tema da mulher sobrenatural que atrai e seduz os homens, transformando-se a seguir, é comum e recorrente no imaginário popular, sendo, por isso, impossível determinar sua origem com precisão.

UM ANO DE BLOG!!


Hoje é um dia muito especial!
Há exatamente um ano, esta desocupada que vos fala não tinha mais o que fazer, então teve a brilhante ideia de criar o Creepypasta Universe!

Gente, antes de mais nada, eu queria agradecer o apoio :)

Agora vamos ao que interessa: O aniversário é nosso, mas são vocês que vão ganhar os presentes!

"Vamos ganhar presentes!!"

MAS... eu não vou dizer o que são! É surpresa!
A gente vai postar cada uma ao longo do dia, então fiquem ligados!

Fiquem ai pensando no que pode ser ;)


segunda-feira, 7 de abril de 2014

A Estação de Serviço Inesquecível

Boa madrugada a todos!  Sou a Thaney, nova postadora do blog e.e
------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Na Austrália Central, há uma estação de serviço banal ao longo de um trecho reto e estéril de estrada. Se você andar em linha reta e pedir a chave, você receberá uma chave banal anexada a um pedaço de madeira banal. A chave vai desbloquear uma porta na estação de serviço, levando a um corredor impossivelmente longo mal iluminada de uma fonte invisível.

Se você seguir estas escadas, você vai começar a ouvir os gritos famintos de aves de rapina que crescem mais alto conforme você desce. Depois de um período de tempo, a luz vai desaparecer, deixando-o no escuro, e uma voz rouca vai pedir os seus desejos. Para cada desejo, você vai experimentar todas as sensações, inesquecíveis, com a marca em sua memória, de mutilação do corpo, de ser dilacerado por força impossível, de ter um braço lentamente esfolado, cada nervo retirado individualmente de sua carne. Você pode falar quantos desejos a sua sanidade mental pode aguentar. Em seguida, você deve dar meia volta e voltar a subir os degraus e nunca olhar para trás. Retorne a chave e volte à sua vida. Seus desejos serão concedidos, mas você sempre terá que viver com as memórias dadas a você naquele lugar escuro.

domingo, 6 de abril de 2014

O mistério de Jack Calcanhar de Mola '-'

Oii Dark People,Lik aqui para mais um post,hoje mamíferos,trago a vocês uma lenda(lenda mesmo,mas eu acho mais uma bizarrice então...) sobre um tio lá que pulava os muros e que vagava por Londres....Saiba mais sobre ele...
Fonte:ah duvido(algumas alterações hehe)
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Quem, ou o quê foi  Spring Heeled Jack ?
Em suas descrições ele aparentava ser um cavalheiro alto, magro, usando um casaco negro e capa. De feições aquilinas, queixo pontudo e com orelhas grandes e afiladas. Um homem de aspecto demoníaco capaz de pular de cinco a dez metros de altura na vertical. Um homem de olhos vermelhos brilhantes como faroletes e capaz de vomitar chamas brancas e azuis. Um homem a prova de balas e que usava garras metálicas em seus dedos. Um demônio travesso a solta pelos telhados. Um psicopata em posse de tecnologia a frente de seu tempo.
O terror de Londres.

O Terror de Londres
Lendas urbanas existem desde que as primeiras cidades surgiram, e casos estranhos ou inexplicáveis há muito mais tempo que isso, mas a história de Spring Heeled Jack tem um diferencial. Foi a primeira a ser oficialmente registrada como um fenômeno real, e mais do que isso, uma ameaça a segurança publica. Muitas teorias já foram formadas sobre quem teria sido Jack; sua aparência peculiar, e sua habilidade de dar saltos extraordinários lhe renderam uma popularidade tamanha que de ameaça publica, ele passou a ser o assunto de diversas obras de ficção

O primeiro avistamento ocorreu em Setembro de 1837, quando um respeitável homem de negócios voltava para casa tarde da noite, ao fazer uso de um atalho, o cavalheiro em questão presenciou o mais notável feito de uma figura sombria que surgiu em seu caminho. Um estranho misterioso cruzou seu caminho após ter saltado os portões do pequeno cemitério que ladeava o atalho. Um salto apenas, sobre um portão de no minimo três metros de altura. O estranho foi descrito como tendo o nariz, queixo e orelhas grandes e pontudos, e olhos que brilhavam como lanternas.
Pouco tempo depois foi dito que a mesma figura cruzou o caminho de um grupo de pessoas, três mulheres e um homem. Assustados, todos correram, menos uma mulher chamada Polly Adams, que tendo ficado para trás, foi alcançada pelo estranho que rasgou sua blusa e arranhou sua barriga, o choque fez Adams desmaiar, e ela foi mais tarde encontrada por um policial em patrulha.


Um mês mais tarde, uma garota que atendia pelo nome de Mary Stevens, se dirigia a seu trabalho em Lavender Hill, após uma visita aos pais que moravam em Battersea. Segundo consta em sua declaração, quando já se encontrava em Clapham Commom (na passagem com o tranquilizante nome de Cut Throat Lane), uma estranha figura saltou sobre ela vindo de um beco escuro. Após imobilizá-la, segurando seus braços com uma das mãos, o estranho beijou se rosto e a apalpou com uma mão “fria e mole com a de um cadáver”. Em pânico, a garota gritou, o que fez seu atacante fugir rapidamente. Os gritos atraíram vários residentes do local que se puseram a buscar o agressor, mas ninguém foi encontrado
No dia seguinte o estranho foi avistado em um local próximo a casa de Mary Stevens. Ele saltou em frente a uma carruagem que passava, fazendo com que o condutor perdesse o controle dos cavalos e colidisse o carro, se machucando seriamente na colisão. Testemunhas afirma ter visto o estranho fugir pulando um muro de mais de dois metros sem o minimo esforço, enquanto ria uma gargalhada estridente. Pouco depois do incidente da carruagem, outra mulher foi atacada perto de Clapham Curch. Neste incidente foram deixadas evidências físicas do assaltante. Os investigadores descobriram duas pegadas com 7 ou 8 centímetros de profundidade. A profundidade das pegadas sugeriram aos investigadores que o atacante usava algum tipo de mecanismo de molas em seus calçados, como os que haviam sido testados pelos alemães durante a guerra (embora tais aparatos tivesse resultado em falhas em 85% dos testes, pois o impacto causava fraturas nas pernas e quadris).

Mas isso foi o suficiente para os boatos, já abundantes, correrem, e logo a imprensa e o publico deram ao misterioso maníaco o apelido Spring-heeled Jack (Jack calcanhar de mola).

Ameaça a segurança publica (Jack be nimble, Jack be quick…)

Alguns meses depois, em 9 Janeiro de 1838, o Prefeito de Londres, Sir John Cowan declarou Spring Heeled Jack uma ameaça publica. Em uma sessão publica conduzida na Mansion House, o Prefeito revelou uma reclamação que recebera de um residente de Peckham, e que mantivera em segredo até obter novas informações. A carta relatava diversos ataques em vilas perto de Londres, todos feitos por algum indivíduo, ou mais de um, disfarçado de assombração, urso, ou diabo. Tal indivíduo, ou indivíduos teria invadido jardins assustando os moradores das residências, e já tendo causado desmaios em sete diferentes moças; duas das quais que teriam ficado com graves sequelas nervosas, e provavelmente se tornando fardos para suas respectivas famílias. Eu uma das casas, ele teria tocado o sino de uma residência, e quando a servente da casa abriu a porta, o choque do susto foi tamanho que a moça teria perdido os sentidos e entrado em choque, do qual até o momento não saíra.
Embora o prefeito tenha permanecido cético, membros da audiência confirmaram que garotas de “Kensigton, Hammersmith e Ealing já haviam contado sobre este espectro ou demônio”. O assunto foi reportado no The Times daquele dia, e em outros jornais Ingleses no dia seguinte. E um dia depois (11 de Janeiro), a mesa do prefeito se mostrava repleta de cartas de diversos locais de Londres, reclamando de “truques perversos” que estavam sendo pregados. A grande quantidade de cartas sugere que a história já havia se espalhado por todo o subúrbio de Londres. Um dos correspondentes afirmou que diversas jovens em Hammersmith haviam sido assustadas ao ponto de terem ataques, e algumas teriam sido “seriamente feridas pelos que pareciam ser as garras que o descrente usava em suas mãos”. Outro clamava que várias pessoas em Brixton, Camberwell, Stockwell e Vauxhall teriam morrido de medo, ou tido ataques; e outro ainda dizia que o misterioso assaltante teria sido avistado repetidamente em Blackheath e em Lewisham.

Um relato do The Brighton Gazette foi publicado no The Times de 14 de Abril de 1838 contava como um jardineiro em Rosehill, Sussex, fora aterrorizado por um desconhecido vestido de urso. E embora o incidente não lembrasse muito os outros, o The Times afirmou que “Spring Heeled Jack aparentemente achou o caminho da costa de Sussex”. O incidente ocorrera no dia 13, e o jardineiro fora perseguido por uma criatura usando uma pele de urso, e que saltou o muro logo depois.
O Prefeito achava que “grandes exageros” havia sido feitos, e que era impossível “que uma assombração realizasse os feitos de um demônio sobre a terra”, mas por outro lado, pessoas de sua confiança haviam lhe informado de uma servente em Forest Hill que teria sido assustada ao ponto de ter ataques, por uma figura usando uma pele de urso. Confiante de que a pessoa, ou pessoas, envolvidas nesta “pantomima perversa” seriam capturadas e punidas, a policia foi instruída a manter vigilância e recompensas foram oferecidas.

Grupos de busca oficiais e voluntários foram formados para caçar o indivíduo responsável pelos ataques. E apesar das vítimas normalmente não saírem com ferimentos mais graves que arranhões dos ataques de Jack, pelo menos um assassinato foi atribuído a ele uma vez.
Foi durante esta época que o grande Duque de Wellington, já com 70 anos na época, se juntou a busca, e, de acordo com os boatos, ficou frente a frente com Spring Heeled Jack mais de uma vez. Mas os grupos nunca conseguiram encontrar Spring Heeled Jack, e nos meses seguintes, os ataques se intensificaram.

Os casos de Scales & Alsop

Talvez os incidentes mais conhecidos envolvendo Spring Heeled Jack foram os ataques a duas adolescentes, Lucy Scales e Jane Alsop, em Fevereiro de 1838, ambos com apenas alguns dias de distância entre si. Os casos foram amplamente coberto pelos jornais da época, incluindo o The Times.
As 8:30 PM, Lucy Scales, com 18 anos de idade, e sua irmã mais nova Margaret, retornavam para casa após visitar seu irmão, um açougueiro que morava em uma área respeitável de Limehouse. A senhorita Scales afirmou em seu depoimento que ela e a irmã, estavam passando por Green Dragon Alley quando viram uma pessoa parada perto da passagem. Assim que se passou perto da pessoa, que usava uma longa capa negra, Scales que andava a frente de sua irmã, foi surpreendida quando o estranho cuspiu uma chama azul em seu rosto, cegando-a. O choque foi tamanho que Scales imediatamente foi ao chão, acometida por violentas convulsões que continuaram por horas. Após o ataque, foi dito que a pessoa fugiu, saltando para o telhado de uma casa.
O irmão de Lucy, teria escutado os gritos de suas irmãs, que há pouco havia deixado sua casa, e correu para ajudá-las, as encontrando em Green Dragon Alley. Lucy foi levada para casa e lá, Margaret contou o que havia ocorrido. Ela descreveu o atacante como alguém alto, magro, e que aparentava ser um cavalheiro. Usava um longa capa, e carregava uma pequena lanterna como as usadas pela policia. O indivíduo não falara nada ou tentara tocá-las, ao invés disso, fugiu rapidamente. A polícia investigou, e interrogou várias pessoas tentando encontrar o autor do ataque, mas tudo foi infrutífero.
A lenda crescia, e com ela a audácia de Jack.

Jane Alsop, também de 18 anos, morava em Bearhind Lane, no distrito de Bow, e estava em casa quando lhe bateram a porta. Do lado de fora estava um homem usando uma capa negra que afirmou ser um policial (uma capa negra fazia parte do uniforme policial da época). O homem pedia alguma fonte de luz, afirmando que haviam encurralado Spring Heeled Jack. Jane, que vivia com seu pai e duas irmãs, correu para buscar uma lanterna para o homem. No momento em que entregava uma vela acesa ao homem, o mesmo retirou sua capa, e“apresentou a mais hedionda e assustadora aparência”, vomitando chamas brancas e azuis de sua boca, enquanto seus olhos brilhavam vermelhos como dois faroletes vermelhos. Alsop declarou que o homem usava uma espécie de elmo, ou capacete em sua cabeça, e que suas roupas eram bem ajustadas, lembrando um macacão de lona branca por baixo do casaco, onde parecia haver uma estrutura de tiras de metal a guisa de costelas. Ela tentou correr de volta para casa, mas o estranho a segurou pelos cabelos e rasgou seu vestido com suas garras, (que Alsop afirmou serem “certamente de alguma substância metálica”) que ele usava nas mãos. A jovem gritou por ajuda, e conseguiu soltar-se dele e correr em direção a casa, onde uma de suas irmãs a puxou para dentro, não sem que antes o estranho a tivesse alcançado nos degraus e a arranhado nos braços e pescoço. O atacante continuou batendo na porta por algum tempo antes de fugir. Testemunhas disseram que Spring Heeled Jack deixou seu casaco ao fugir, e uma outra pessoa foi vista logo depois pegando o casaco e o levando dali, o que levou a policia a acreditar que Jack teria um cúmplice.
Um certo Thomas Millbank chegou a ser preso sob suspeita, quando, pouco tempo após o ataque a Jane Alsop, ele teria se vangloriado no bar Morgan’a Arms de que ele era Jack, e de que tinha assustado Jane Alsop, mas logo as afirmações foram desmentidas e Millbank foi liberado por ser incapaz de provar como ele havia feito todos os ataques e prodígios realizados por Spring Heeled Jack.
Saltando para a fama (e para a infâmia)

Após estes incidentes, Spring Heeled Jack se tornou uma das personagens mais populares da época, mesmo com o medo que inspirava. Seus feitos eram relatados nos jornais, e ele se tornou protagonista de diversos folhetins e Penny Dreadfuls, bem como peças e espetáculos dos teatros populares que abundavam. Em muitos teatros de fantoches, o diabo da história de Punch & Judy foi renomeado Spring Heeled Jack.

Mas mesmo com sua fama crescendo, os avistamentos de Spring Heeled Jack se tornaram menos frequentes, parando por um curto período antes de voltarem em 1843 quando uma nova onda de ataques começou. Em Norrthamptonshire, ele foi descrito como “a própria imagem do diabo, com chifres e olhos chamejantes”, e em East Anglia os ataques aos coches mensageiros se tornaram comuns.
No inicio de 1870, Spring Heeled Jack continuou a ser avistado em diversos locais. Em Novembro de 1872, o jornal News of the World reportou que Peckham estava em um “estado de comoção devido a uma misteriosa figura de aparência alarmante” afirmando que ele não era outro que não Spring Heeled Jack, que já havia aterrorizado a geração anterior. Histórias similares foram publicadas no The Illustrated Police News. Em Abril e Maio de 1873 ele voltou a aparecer diversas vezes em Sheffield.
Essas noticias continuaram frequentes, em Caistor, Newfolk, diveras pessoas avistaram Spring Heeled Jack viajando através da cidade pulando de telhado em telhado, e relatos similares ocorreram em Londres. Em Agosto de 1877, um dos relatos mais notáveis sobre Spring Heeled Jack veio de um grupo de soldados em Aldershot. Um certo soldado Hohn Regan estava de sentinela quando escutou o barulho de alguém arrastando algo metálico na estrada. O soldado foi investigar, e não achando nada, voltou ao seu posto. Regan escutou o barulho novamente, e foi investigar, desta vez avistou uma figura na estrada, mas que saltou e desapareceu na escuridão, ao voltar, Regan surpreendeu-se a o ver Spring Heeled Jack ao seu lado, cuspindo chamas azuis, Jack começou a estapear o rosto do soldado com “mãos frias de cadáver” enquanto gargalhava. Outro guarda disparou um tiro contra Jack, mas sem que houvesse qualquer efeito. Jack então saltou uma incrível distância noite a dentro, rindo, enquanto os outros soldados atiravam nele.
Em suas memórias “Forty Years On” Lord Ernest Hamilton relata as aparições de Spring Heeled Jack. Ele conta que seu regimento havia se mudado para Aldershot, e que aparições similares ocorreram quando estavam em Colchester no inverno anterior. Hamilton afirma que achava que as aparições fossem brincadeiras feitas por um de seus companheiros, um certo Tenente Alfrey, até que presenciou Spring Heeled Jack saltando mais de nove metros e cuspindo chamas azuis de sua boca no rosto do sentinela. O sentinela descreveu seu atacante como um homem alto e magro usando um capacete e uma roupa de lona branca, e que tiros pareciam não surtir efeito contra ele.
Um mês depois, em Lincolnshire, Spring Heeled Jack foi visto saltando de casa em casa. Assim como ocorreu em Aldershot, os residentes atiraram nele, desta vez com rifles, sem que isso tivesse efeito algum. As testemunhas atestaram que os tiros que atingiam Spring Heeled Jack faziam um barulho como se estivessem atingindo um objeto metálico
Em Janeiro de 1879 Spring Heeled Jack atacou mais carruagens que atravessavam pontes em Birmingham e Liverpool, vestido de negro e com olhos luminosos cor de laranja, Jack saltou sobre os cavalos, soltando as parelhas das carruagens.
Pelo fim do século XIX, os avistamentos de Spring Heeled Jack se moviam para o oeste da Inglaterra. Em 1888, em Everton, norte de Liverpool, ele teria aparecido pulando do telhado da igreja de São Francisco, na rua Salisbury. Obervadores disseram que ele saltou da beirada do telhado direto para o chão. Pensando se tratar de um suicida, os transeuntes se apressaram para o ponto onde ele teria caído, apenas para achar um homem de pé, os aguardando. O homem usava uma roupa branca sob um casaco negro e um capacete. Ele caminhou em direção a multidão e saltou para o ar, ganhando os telhados das casas em um único pulo, e indo em direção a William Henry Street, onde continuou sendo avistado até 1904.
Um dos últimos avistamentos ocorreu em 1920, na Estação Central de Londres, onde um homem vestido de branco foi visto saltando de telhado em telhado até desaparecer nas ruas.

“We don’t know Jack…”
Ninguém nunca conseguiu capturar ou identificar Spring Heeled Jack; combinando isso com suas extraordinárias habilidades, e o longo período de tempo pelo qual agiu, vários tipos de teorias sobre sua identidade surgiram. E enquanto muitos pesquisadores procuram uma explicação mais racional para os eventos, outros preferem se focar nos detalhes mais fantásticos da história e propor uma especulação mais ampla. Outros ainda ignoram todos os registros e classificam o caso como histeria em massa derivada de mitos como o do homem que é perseguido pelo diabo nos telhados das casas, e com contribuições de fatores sociológicos.
Explicações paranormais também são abundantes, como a de que ele seria um alienígena com aparência semi-humana, agilidade super-humana (derivada da vida em um mundo de alta gravidade), e características como olhos vermelhos retro-reflectivos e halito de fósforo; ou então de que seria um demônio, invocado acidentalmente, ou deliberadamente por ocultistas, e que se manifestava apenas para criar caos.
Spring Heeled Jack aparentava ser humano, e poderia ser visto como um criminoso comum, mas devido as habilidades extraordinárias que exibia (seus saltos, que quebrariam as pernas e quadril se um humano os tentasse replicar), e ao fato de nunca ter sido pego pelas autoridades, ele pode ser classificado como um dos chamados “atacantes fantasmas”, como o “Gaseador louco de Mattoon” por exemplo.

A possibilidade de Spring Heeled Jack ter sido uma pessoa também existe, e se encaixa nas explicações mais “racionais” embora certos pontos sejam controversos. Essa alternativa também explicaria por que ele nunca foi capturado, por seria ligado a nobreza.
Um dia após o ataque a Jane Alsop, outro incidente ocorreu em Turner Street. Mais uma vez, Spring Heeled Jack bateu em uma porta, e quando foi atendido pediu para falar com o senhor da casa, o Sr. Ashworth. O valete ia chamar seu mestre quando o visitante saiu das sombras em que se encontrava do lado de fora, e o garoto percebeu quem era o estranho que possuía olhos alaranjados brilhando e garras metálicas nas mãos. Spring Heeled Jack então empurrou o garoto e saltou sobre a casa, seguindo pelos telhados de Commercial Road. O jovem valete pode identificar mais uma evidência, pois percebeu que sob a capa, Spring Heeled Jack tinha algo que lembrava uma letra ‘W’ dourada sobre o peito, como um brasão.

Isso levou a policia a suspeitar de Henry de La Poer Beresford , o Marquês de Waterford. O Marquês era um nobre Irlandês, conhecido pelo seu temperamento, e senso de humor peculiar e muitas vezes cruel. Apelidado de “O Marquês maluco” , Waterford aparecia frequentemente nos jornais por conta de suas brigas, bebedeiras, peças brutais e vandalismo, e é sabido que estava em Londres quando os primeiros ataques ocorreram. Entretanto, os ataques continuaram por muito tempo após a morte do Marquês em 1859.
Em 1880 o reverendo E. Cobham Brewer atestou que o Marquês “costumava se divertir saltando em viajantes incautos, para assustá-los, e de tempos em tempos outros seguiam seu tolo exemplo e faziam o mesmo” essa ideia parece ser aceita entre muitas pessoas, que acreditam que Spring Heeled Jack não seria uma criatura sobrenatural, e sim uma pessoa, ou mais pessoas, dotadas de um senso de humor macabro. O papel do Marquês de Waterford nesta questão tem sido aceito por vários pesquisadores, que sugerem que uma experiência humilhante envolvendo uma mulher e um oficial de policia podem ter dado a ele a ideia de criar o personagem como uma maneira de “acerto de contas” com a policia e mulheres em geral. Especula-se que o Marquês teria desenvolvido uma especie de aparato para botas com molas no calcanhar que o permitiam saltar; e os contatos do Marquês, que era sabido ter amigos especializados em mecânica aplicada, teriam permitido a construção de tais aparelhos, tal qual um suporte que impedisse que fraturasse o quadril ao praticar os saltos. Também é possível que o Marquês tenha praticado técnicas de pirofagia para incrementar as características sobrenaturais do personagem. Mas se isso é a verdade, ou apenas uma remota possibilidade, é impossível saber.

“They are still talking Jack…”
A lenda criada ao redor de Spring Heeled Jack influenciou diversos aspectos da vida vitoriana, inclusive na cultura popular, pois assim que o primeiro incidente se tornou publico, Jack se tornou um personagem ficcional de sucesso, sendo usado como protagonista de diversos penny dreadfuls de 1840 até 1904, em muitos dos quais era retratado com um ex membro da nobreza que assumia a identidade de Spring Heeled Jack em ordem de reclamar sua fortuna e resolver injustiças. Uma antecipação de diversas características que se tornariam populares nas histórias de super-heróis.
Durante décadas e décadas, seu nome foi usado como uma espécie de bicho-papão para as crianças londrinas, e como personagem de peças ou filmes. E isso continua até hoje, como por exemplo nos livros“Spring Heel’d Jack” de Max Holt, e “Spring-Heeled Jack” de Philip Pullman, “The Strange Affair of Spring Heeled Jack”, de Mark Hodder, ou nas graphic novels “Springheeled Jack” de David Hitchcock,  e  “Captain Swing and the Electrical Pirates of Cindery Island”, de Warren Ellis.

As aparições de Spring Heeled Jack, embora não tão frequentes, também continuaram ao decorrer dos anos, em diversos locais. Uma figura que foi apelidade Pérák, o Homem Mola de Praga foi visto na Checoslováquia de 1939 até 1945, se tornando uma espécie de herói folclorico.
E em Junho de 1953, uma figura que batia com a descrição de Jack foi vista sobre uma árvore no jardim de um prédio em Houston, Texas. Os moradores que o avistaram descreveram-no como um homem “usando uma capa negra, calças justas brancas e botas”. Em South Herefordshire, fronteira do Pais de Gales, um caixeiro viajante chamado Marshall afirmou ter visto Spring Heeled Jack em 1986. Ele usava o que o caixeiro descreveu como uma “roupa negra de esquí” e tinha um queixo pontudo e comprido.

Desde que saltou das sombras em 1837, Spring Heeled Jack permaneceu um mistério, sua identidade, seus propósito, nada disso foi descoberto, e é provável que nunca seja. Mas talvez seja melhor assim. Pode ser que se o caso tivesse sido resolvido, e a verdadeira natureza de Jack tivesse sido revelada, não estaríamos falando dele aqui hoje.
Mas é claro, eu posso estar errado.
O que quer Jack tenha sido, uma criatura sobrenatural pronta para pular de um beco escuro a qualquer momento, ou um louco com aparatos tecnológicos e olhos brilhando como faroletes, a risada de Spring Heeled Jack continua ecoando na imaginação das pessoas da mesma maneira que ecoou na mente de suas vítimas no passado.

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Coisas mais assustadoras que as crianças já disseram a seus pais

Olá seres sombrios Miss Insipida aqui novamente, eu sei, eu sei, geralmente não sou eu quem posta esse tipo de coisa, geralmente é nossa companheira a Lik porém dessa vez eu simplesmente não pude resistir.
--

As coisas mais assustadoras que crianças já disseram a seus pais.

16. Eu estava colocando o meu filho de 2 anos para dormir quando ele disse "Bom, adeus" "Não, nós dizemos boa noite" eu disse, ele respondeu "eu sei, mas dessa vez é adeus".
Eu tive de ir ao seu quarto algumas vezes a noite para ter certeza que ele ainda estava ali.

15. Quando minha filha tinha mais ou menos 3 anos, a gata que nós tinhamos em casa deu cria, ela perguntou se nós podiamos fazer pequenas fixas para eles, para poderem arranhar, quando ela disse 
"Você não acha que elas são muito pequenas?"
"O que você quer dizer?"
"Não vamos esfolea-los?"
(Um longo tempo depois) "... Não vamos esfolea-los"
"Oh..."

14. Minha filha de 3 anos estava ao lado de seu irmão recem nascido, observando ele, depois de um tempo olhando para ele, ela olhou para mim e disse "é um monstro papai.... Acho que nós deveriamos queimar isso...."

13. Eu estava quase dormindo, eram por volta de 6 da manhã, quando sou acordada por minha filha de 4 anos, com o seu rosto a centimetros do meu, susurrando
Eu quero tirar toda a sua pele fora...."

12. Meu filho pequeno entrou em una fase na qual ele começou a dizer olá para todos os objetos da casa, isso soava como "olá olá olá olá olá" so que bem mais rapido. Mas um dia isso soou mais como "morra morra morra morra morra" eu fui e perguntei o que ele estava dizendo, ele olhou bem nos olhos com um enorme sorriso e disse "mooooooooorraaaaaaaaa"

11. "Qual é a melhor maneira de conseguir uma namorada?" Eu perguntei em tom brincalhão
"Diga a ela que ela nunca mais verá seus pais de novo" ele estava sério.

10. Meu filho de 5 anos estava brincando com seu irmão de 6 quando ele disse "mamãe, quando você morrer eu queror colocar você em um pote de vidro, então eu poderei ter você para sempre comigo" meu filho de 6 protestou "isso é ridiculo, ondo você vai encontrar um vidro tão grande?"

9. Meu filho de 3 anos é muito feliz e alegre para sua idade o que torna as coisas que ele falou ainda mais estranhas. Estavamos deitados no sofá quando ele falou "Papai, eu prometo que eu nunca irei quebrar seus ossos" eu não tenho absolutamente nenhuma idea de onde ele poderia ter tirado isso.

8. Quando ela tinha 4 anos eu ia dar-lhe um beijo de boa noite na testa como eu sempre fazia, mas ela me toma do rosto e me beija na boca inserindoa lingua dentro dela.
"Eu aprendi do senhor Karo (amigo imaginario dela) me ensinou, ele disse que isso quer dizer 'eu te amo'"
Eu fui ao meu quarto sem dizer nada, até hoje não sei se isso foi verdade.

7. "Por que você esta chorando filha?"
"Homem mal"
"Que homem?"
Ela aponta para o canto do quarto.
"Homem mal" quando ela o diz, a luminaria em cima da mesa cai e se quebra.... Ela dormiu conosco nesse dia.

6. Minha filha adotiva estava sentada no sofá com uma careta no rosto.
"No que você esta pensando querida?"
"Só estou imaginando toneladas de sangue sobre o meu corpo bem agora"

5. A mãe deita de bruços e seu filho em cima dela, e começa a "saltar" em cima dela "agora nós estamos copulando como repteis". Obrigada Discovery Channel!

4. Um dia anoite minha esposa dava banho a nossa filha de dois anos e meio, tava esfregando a esponja na barriga dela e quando foi limpar as genitalias ela a deteve e disse "Ninguen me "esfrega" ai, uma vez eles tentaram, quebrando a porta e invadindo meu quarto, mas eu resisti e eles me mataram e agora eu estou aqui" ela disse isso como se fosse normal.

3. "Vá dormir querido, não há nenhum monstro em baixo de sua cama"
"Ele está atrás de você"

2. Brincava com minha menina de 4 anos no playground quando ela disse "Papai eu te amo tanto que eu quero cortar a sua cabeça e levar ela por ai, assim eu vou poder te ver aonde quer que eu esteja"

1. Eu levava a minha filha pequena para um check up na clinica que sempre iamos, antes de chegarmos ela vira para mim e diz: "O nosso médico de sempre está morto" ... Ele estava.

--

Fonte: 9GAG
Tradução: Miss Insipida

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Chuva


26 de maio
Não chove há três meses. Toda a cidade está preocupada. Precisamos de chuva em uma pequena área rural como essa. As plantações. Os açudes.

7 de junho
Marlene chora à noite. As meninas também estão preocupadas. Eu comecei a ir à igreja.

16 de junho
Sem chuvas. Estou indo à igreja praticamente toda noite. Deus há de nos salvar.

28 de junho
Por favor Deus, deixe chover.

1º de julho
Nada de chuva.

4 de julho
Não podemos acender os foguetes pelo Dia da Independência. Está tudo tão seco. Eu consegui uma Bíblia em latim e a li hoje. Nenhuma chuva.

24 de julho
Sem chuva. Quatro meses agora. Fomos amaldiçoados?

6 de agosto
Sem chuva. Desisti de rezar. Outros deuses existem, não é? Os demônios pagãos são cheios de truques, mas talvez eles possam nos ajudar.

18 de agosto
Dança da chuva, a noite toda. Sem chuvas. Preciso de mágica mais forte.

25 de agosto
Matei um bezerro. Chamei pela chuva. Nuvens de chuva no horizonte. Sumiram à tardinha.

3 de setembro
Chuva!! Doce chuva! Funcionou. Nenhum preço é alto demais pela sobrevivência.

7 de setembro
O funeral até que foi bem agradável.

18 de setembro
Um único dia de chuva não é o suficiente.

21 de setembro
Choveu. Fiquei tremendo a noite toda depois de fazer.

27 de setembro
Está chovendo. Deus me perdoe.

1º de outubro
Choveu hoje. As pessoas estão dizendo que a cidade é amaldiçoada. Eu parei de ir aos funerais.

9 de outubro
Marlene descobriu. Eu não sei como. Talvez haja uma razão pela qual deixamos de lado nossas pirâmides escalonadas e facas.
Vai chover amanhã.
_____________
Fonte: Creepypasta Wiki
Tradução e adaptação: Capitu

Teoria do GTA



Grand Theft Auto IV, como você provavelmente sabe, é um videogame muito popular de tiro em terceira pessoa. No jogo, você joga como Niko Bellic, um imigrante ilegal que viaja para os EUA a partir de um país do leste europeu não identificado.

O jogo em si é parcialmente normal, o jogo se passa em uma série de ilhas que são aparentemente no meio do oceano. Você sabe que ele está nos Estados Unidos, mas você não pode viajar para qualquer lugar fora do "Liberty City" e "Alderney" - as duas cidades no jogo. Se você tentar sair, você "morrer".

Você também pode ver que não há outras massas de terra fora da cidade. É estranho como o jogo mantém o fato de que você não apenas jogando nos EUA, mas também que a cidade é capaz de funcionar tão bem como o seu homólogo da vida real, a cidade de New York.

A segunda parte estranha é que você não pode morrer. Sempre que seu personagem iria morrer, ele da respawn em um hospital. Você pode pular na frente de um carro, você pode cair de um arranha-céu, você pode levar um tiro no rosto, mas seu personagem não vai morrer de verdade. Além disso, sempre que você é preso pela polícia, você é liberado depois de pagar um suborno e tomarem suas armas. Mesmo se você matar 50 policiais, entrar em em um tiroteio, e explodir um ônibus, você não vai para a prisão perpetua. Isto é especialmente estranho quando se considera que há uma prisão ali mesmo no jogo.

A terceira parte estranha do jogo são o fundo e o papel do personagem principal. História do passado de Niko é revelada em partes ao longo do jogo. Ele veio de um país sem nome, presumivelmente na Ex-Jugoslávia. Seu país estava dilacerado pela guerra civil, e ele acabou cometendo várias atrocidades implícitas.

Quando ele encontra um de seus velhos inimigos, Darkov, perto do fim do jogo, Niko tem uma opção para exigir sua vingança e matá-lo ou deixá-lo viver. Darkov foi quem trouxe a guerra civil para a aldeia de Niko e orquestrou um assassinato em massa que matou todos os amigos de Niko, encorajando-o a juntar-se à luta e realizar atrocidades atuando sozinho.

Durante todo o jogo, ao jogador é dada a impressão de que Niko só está tentando ser um cara legal. Ele só quer ajudar o seu primo, Roman, mas depois acaba vítima de uma longa série de eventos que o transformam em um criminoso assassino. Quando ele saiu do Platypus, o navio que o levou a Liberty City, ele estava à procura de um novo começo e do sonho americano.

No entanto, Niko entra uma longa série de acontecimentos tumultuosos e, finalmente, a perda no final do jogo do interesse amoroso em potencial tanto de Niko quanto de Roman, Kate (de acordo com as ações do jogador no jogo). Tudo parece tão horrível para Niko, mas será que ele não merece isso depois de sua vida passada repleta de homicídio e violência?

Ele não pode sair. Ele não pode morrer. Após os eventos do jogo, Niko deve viver por toda a eternidade em Liberty City.

Porque Niko nunca realmente chegou em Liberty City - o Platypus nunca chegou ao seu destino ...

Porque Niko está no inferno.


---


Tradução: Miss Insipida
Fonte: Creepypasta Wiki

terça-feira, 1 de abril de 2014

Eu e meu querido avô

 Oii Dark People,hoje vamos ter mais um post bizarro.......HAAA PEGADINHA DO MALANDRO,1 DE ABRIL MAMÍFEROS(vou chamar vocês assim apartir  de agora)ENTÃO SERES COM GLÂNDULAS MAMÁRIAS HOJE VAMOS TER UM POST ESPECIAL,NA VERDADE UMA DAS MINHAS POUCAS CREEPYS AQUI NESSA BAGAÇA(cof cof basquete cof cof)MASSSS ESSA AQUI E ESPECIAL,PORQUE EU QUE TIVE A (péssima)IDÉIA DE ESCREVER,ASSIM....EU TAVA LÁ DE BOA DORMINDO AÍ EU ACORDEI TIVE A IDÉIA DE POSTAR,AÍ VEIO NA MENTE A VONTADE DE FAZER UM CREEPY,E AÍ PRONTO,QUAREM A MINHA OPNIÃO(NÃOOOO)[MESMO ASSIM EU VOU DAR(a opnião não a bunda)]EU ACHEI A CREEPY BIZARRA POR QUE SE NÃO FOR BIZARRA NÃO E MINHA O/
Obs:
1-eu não sei porque eu escrevi tudo aí em cima em caps lock
2-não tinha nenhum nome em mente,por isso se você se chama Serafin Raimundo Joseval,me perdoe,em momento nenhum eu me relacionei a você, meus pêsames por seus pais te odiarem tanto...
3-e sim,você vai achar RIDÍCULO essa creepy,no MÍNIMO esquisita,mas saiba que eu estava dormindo e sonhando(com a gostosa da Rosy) com uma pessoa aí,e tipo eu tinha acabado de acordar pow..
---------------------------------------//////----------------------------/////--------------------------------/////----------
Meu nome é Serafin Raimundo Joseval,eu moro em um cemitério,numa tumba,dentro de um caixão,mas não se preocupem eu não estou sozinho,eu estou com o meu avô aqui do meu lado,ele está morto e em decomposição,mas a gente conversa muito,ele fala da vida e das pessoas,do mundo e muito mais,também temos uma vizinha morta,ela parece que quando morreu tinha 32 anos,pelo menos ela tem um namorado,ele vem lá toda noite pra visitar ela,e sempre sai da tumba dela só de cueca(COF COF NECROFILIA COF COF)mas eu não ligo muito pra isso,na tumba da frente a dois irmãos gêmeos,eles vivem brincando,rindo e tudo mais,as vezes vem gente la colocar flores ou velas em cima do sepulcro,devem ser parentes ou algo assim pra se importar tanto,mas eles não se importam muito com o que acontece lá fora.Na tumba tem um grande amigo do meu avô,ele se foi cinco anos despois do meu avô,ele também tem uma sobrinha,ela sempre vem da uma volta pelo cemitério,ela e seus amigos emos,eles vêem fazer jogos e rituais pra chamar os outros mortos,até já me chamaram mais eu não quiz sair,não porque eu não posso,mas porque eu não quero,estou feliz aqui com o meu avô,na verdade e muito bom viver aqui,meu avô me ensinou a viver aqui muito bem
eu sempre penso que eu posso viver o resto da minha vida aqui,mas meu avô diz que eu estou morto,eu não acho que estou,mas ele está certo eu devo estar mesmo,aí ia esse meu avô sabe de tudo mesmo por isso que eu aceitei o convite de morar com ele quando ele veio falar comigo anos depois de sua morte.
---------
MAMÍFEROS EU SEI TA UMA MERDA MESMO...FOI MAL AÍ MAS EU ESTOU SEM TEMPO NENHUM PRA FAZER HISTÓRIAS PERFEITAS E TUDO MAIS,MASSSS SE VOCÊS TEM UMA HISTÓRIA BOA MANDA PELO NOSSO E-mail OU FALA COMIGO NO SKYPE O/
Qualquer coisa comentem...
BOA NOITE MEUS MAMÍFEROS(Dark People forever :3)
----------
Amigo imaginário da Lik: essa estória foi uma merda --'
Pônei da Lik com asas de morcego,pés de pato e rabo de esquilo:e história babava,mas de qualquer forma achei uma merda mesmo!
Lik:seus bostas,voltem já para meu útero
(ESSA ÚLTIMA PARTE FUI OBRIGADA A FALAR,E SÉRIO,OBRIGADA A FALAR E A FAZER AGORA MEU ÚTERO DOI E EU NÃO CONSIGO MAIS ANDAR)